O universo da segurança da informação e do armazenamento de dados é preenchido com termos e conceitos específicos. Quem trabalha com esses setores se depara com definições únicas, como é o caso do termo RAID, foco do nosso conteúdo.

A verdade é que grande parte dos profissionais que utilizam os conceitos relacionados a esse termo, desconhecem seu significado verdadeiro. Sendo assim, reunimos importantes informações que mostram na prática a importância de entender seu significado.

Você sabia, por exemplo, que o funcionamento desse sistema pode ampliar a segurança e a performance das suas aplicações?

Se ficou interessado veja a seguir o que é RAID. Compreenda seu conceito, descubra sua importância e conheça os tipos existentes no mercado. Vamos entender a lógica de seu funcionamento?

O que significa RAID e qual a sua importância

Vamos primeiramente entender seu significado. RAID em inglês é “Redundant Array of Inexpressive Disks”. Se acha que o termo é complicado, veja a tradução livre: “Matriz Redundante de Discos Independentes”.

Sem conhecer sua definição pode parecer algo impossível de compreender, mas é simples e você vai ver.

Podemos definir um RAID como a união de inúmeros discos rígidos ou se preferir HDs (Hard Drives), que irá formar uma unidade lógica singular. Como resultado, todos os dados presentes em um único disco rígido passam a integrar todos os outros HDs conectados.

Viu como é simples? Quando se deparar com diferentes HDs funcionando em conjunto você está diante de um RAID. Você deve estar se perguntando: “está bem, mas como isso é tão relevante para a empresa?”.

Vamos supor que você tenha um RAID com 8 HDs e 1 desses discos rígidos apresente falhas. O objetivo principal do RAID é assegurar que sua informação não seja perdida ou corrompida, pois os outros 7 HDs ainda estarão funcionando e mantendo a integridade dos seus dados.

Agora fica mais simples compreender que esse mecanismo viabiliza mais segurança e proporciona maior efetividade a toda uma rede, pois possibilita um funcionamento em redundância.

RAID: conheça os principais tipos

É importante ressaltar que devido a possibilidade de integrar quantidades distintas de discos rígidos, existem diferentes tipos de configuração de RAIDs. Separamos as principais para que entenda o posicionamento de cada mecanismo e suas funcionalidades, acompanhe!

RAID 0

A principal característica desse tipo de RAID é oferecer performance aprimorada ao computador. Isso porque, se trata de um mecanismo de “fracionamento” onde os dados são fragmentados em segmentos pequenos e divididos pelos discos.

Embora amplie a efetividade de um computador é um sistema intolerante a falhas, ou seja, não existe redundância nesse mecanismo e, por conseguinte, podem haver falhas e perdas de dados.

Principais vantagens

• Agilidade no acesso das informações;

• Representa baixos investimentos na expansão do armazenamento.

Desvantagens

• Desprovido de espelhamento;

• Não possibilita a paridade de dados;

• Em caso de falha nos setores de um HD o arquivo pode se tornar irrecuperável, pois está divido.

RAID 1

Esse é um dos formatos mais utilizados, pois proporciona espelhamento, ou seja, os dados salvos no disco A estão espelhados e presentes no disco B e vice-versa. Apresenta maior segurança se comparado ao RAID 0 e não há diminuição de eficiência.

Principais vantagens

• Aprimora a segurança dos dados com defeitos relacionados ao HD;

• Em caso de falha há a possibilidade de realizar cópias dos arquivos de outro HD.

Desvantagens

• Não se aplica a paridade ao mecanismo;

• Apresenta característica de espelhamento;

• Demanda mais tempo na escrita do sistema;

• Custo mais elevado em comparação com o RAID 0.

RAID 5

Podemos assumir que esse sistema é a transformação dos RAIDS anteriores. Um dos diferenciais é que um disco inteiro armazena os dados criados pela paridade. Além disso, sua complexidade é maior e a paridade é mantida alternadamente entre os discos.

Portanto, o RAID 5 estimula maior segurança das informações, pois disponibiliza um recurso chamado de “Rebuild”, que pode ser acionado em caso de falha em algum dos discos.

Principais vantagens

• Maior agilidade na identificação de falhas e erros;

• Realiza uma leitura mais aprimorada e rápida;

Principais desvantagens

• Representa lentidão na escrita;

• Maior complexidade no sistema que realiza o controle dos discos.

RAID 6

Também conhecido como “Dual Parity” ou paridade dupla, é a opção mais viável em segurança da informação. Por possuir o dobro de Bits quanto a paridade, se comparado ao RAID 5, permite que até dois discos rígidos falhem ao mesmo tempo sem representar nenhuma perda de dados.

Vantagem

• Suporta a falha de até 2 discos sem que haja perda de dados.

Desvantagens

• Requer ao menos 3 discos rígidos para sua implementação, devido a paridade;

• Representa lentidão na escrita;

• Maior complexidade no controle dos dados.

RAID 10

Esse RAID apresenta algumas particularidades, pois trabalha com características dos RAIDs 0 e 1. Sendo assim, só pode ser implementado com o mínimo de 4 discos e invariavelmente em número par.

É tido como o RAID mais seguro para a segurança da informação e armazenamento de dados, uma vez que metade dos HDs armazena os dados e a outra metade realiza suas cópias.

Vantagens

• Segurança dos dados contra perdas aprimorada;

• Permite falhas simultâneas em até 2 discos rígidos.

Desvantagens

• Representa alto custo em sua expansão;

• Para alcançar a performance ideal é necessário que os Drivers estejam em perfeita sincronia de velocidade.

Apesar de ser um tema que aparenta complexidade é algo que acompanha o avanço da tecnologia da informação. Esperamos ter facilitado seu entendimento, a fim de que possa colocar em prática o novo conhecimento adquirido!

Intersolid Software Logomarca
Thank you! Your submission has been received!
Oops! Something went wrong while submitting the form.
São Paulo: (11) 3181.5480
WhatsApp: (18) 99622-6172
R. Dr.Guilherme Bannitz, 126 | 8º andar conj. 81 CV.9476 | Itaim Bibi - São Paulo/SP
Av. Alberto Braga, 383 | Continental - Guararapes/SP